Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Milorde

Milorde na dúvida

Milorde, 13.01.22

covid-g76fc2b55b_1920.jpg

Pensava eu que com duas doses da vacina estaria protegido. Diziam que mesmo que apanhasse o vírus teria sintomas ligeiros parecidos com uma constipação.

Comecei no domingo à noite por ter uma ligeira irritação na garganta. Segunda-feira senti muito frio e uma dor no peito sempre que respirava, a garganta continuava irritada. Passei mal a noite de segunda para terça com arrepios de frio e uma forte dor de cabeça, daquelas que nos deixam com tonturas.

Comecei por ligar para a linha de saúde 24 que até ao dia de hoje ainda não me atendeu. António Costa anunciou que vai reforçar a linha com mais 700 profissionais de saúde, mas não disse quando, até lá todas as pessoas que tentam ligar para esta linha entupida de pacientes é como se estivesse dentro de uma tombola em que só sai um número premiado de vez em quando.

A farmácia de Barbalimpa não faz testes à covid-19 porque não tem o protocolo, palavras do farmacêutico que me atendeu ao telefone.

Ontem a Maria levou a sua dose de reforço da moderna sem saber se estaria ou não também infetada mas decidiu correr o risco porque não tinha qualquer sintoma. Enquanto esperava por ela "bati à porta" de 3 farmácias que fazem testes mas apenas por marcação e que nos próximos dias estão lotadas. Nada feito. Tenho sobrevivido com paracetamol que é o mesmo que teria de fazer se estivesse infetado.

Hoje a Maria está de cama, cheia de dores e arrepios de frio, mas não sabemos se será efeito da vacina, do covid ou de ambos. A minha garganta dói-me e tenho tosse. Soube de uma farmácia que faz testes por ordem de chegada e vou tentar a minha sorte (sarcasticamente falando).

 

Milord testado

Milorde, 27.08.20

5e4f7a1723000094040bedc1.jpeg

 

Meus caros,

Acredito que a vossa preocupação sobre a minha pessoa é grande e que, quando viram o título deste texto, os vossos olhos se arregalaram e os vossos corações bateram a uma velocidade estonteante pensando que eu, já com uma certa idade e, por isso, mais propício a esta coisa dos vírus, estivesse infetado com Covid-19 e que tivesse realizado um teste para o comprovar. Não, não é nada disso! O teste de que vos vou falar é outro.

Após o último debate ocorrido entre Joe Biden e Bernie Sanders, em que o tal "Sleepy Joe" mostrou uma energia esfuziante fora do habitual, Donald Trump pediu um teste de despistagem de droga para ele mesmo e para Joe Biden antes do primeiro debate presidencial, previsto para dia 29 de setembro. Segundo Trump, Biden teve uma atitude "normal" ao contrário das anteriores em que o mesmo se mostrava letárgico, e isso intrigou-o.

O mesmo me intrigou a mim. Devido à minha idade já um pouco avançada a minha performance já não é a mesma que outrora. Já não consigo beber uma cerveja de penálti sem me engasgar; já não consigo chegar a tempo à casa de banho sem antes soltar umas pingas de xixi nos trusses; a Maria tem de repetir duas vezes a mesma coisa para que a consiga entender; e já não consigo fazer longas caminhadas sem deitar a língua de fora como os cães. Contudo, há uns dias para cá, tenho sentido uma energia diferente em mim. Ainda esta manhã consegui baixar-me para calçar as meias sem que os meus ossos protestassem com o esforço.

Tudo isto me levou a questionar-me. Será que eu estou a ser drogado?! Não me admira nada que alguém ande a colocar alguma substância ilícita no meu chá! Mas com que propósito? Não consigo compreender. Eu não estou na corrida das eleições presidenciais americanas, porque se tal acontecesse não tenham a menor dúvida de que ganharia com uma perna às costas. Essas pessoas não percebem nada de política! Antigamente não havia cá debates e testes! Pelo contrário, era quando o rei estava bêbado que se tomavam as melhores decisões.

Pois hoje, sem contar nada a ninguém, dirigi-me a uma clínica privada e exigi que me fizessem um teste, que me custou os olhos da cara! O teste deu negativo mas a minha consciência ficou mais leve. Daqui em diante vou ficar mais atento.