Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Milorde

Sobre o caso Miguel Alves...

Milorde, 15.11.22

... e sobre esta notícia do JN que diz:

«Há mais uma polémica que envolve Miguel Alves e, agora também, António Costa. Enquanto presidente da Câmara de Lisboa, em 2010, o atual primeiro-ministro ter-lhe-á pago mais de 80 mil euros em três ajustes diretos para serviços de consultadoria naquela autarquia, segundo noticiou a TVI/CNN. Os contratos terão sido realizados no mesmo dia, num montante total que obrigaria a lançar um concurso público, se não fosse dividido.»

 

Deram a maioria absoluta ao PS em janeiro, não deram?

 

Milorde poupadinho

Milorde, 06.09.22

golden-gd70a4f659_1920.jpg

António Costa anunciou ontem as novas medidas de apoio às famílias.

Estava a grelhar uns cogumelos para os inserir numa boa omelete quando o nosso primeiro ministro começou a falar. A minha mãe colocou o volume da televisão no número 22 para ouvir melhor.

A primeira medida anunciada foi o pagamento de 125 euros a cada cidadão com rendimentos até 2.700 euros mensais.

- Vamos receber este valor por mês até ao final do ano? - perguntou a minha mãe esperançosa.

- Não mãe, é um pagamento único!

- Bem, menos mal. Assim já dá para a ajuda da renda de casa. Mas porque é que ele não baixou o IVA dos produtos alimentares?

Uma boa questão que eu não soube nem sei responder. Não sou economista. Mas creio que faltou muito mais apoios, nomeadamente no gás de botija que muitos portugueses ainda utilizam, principalmente nas aldeias.

Já há alguns meses, depois que esta guerra rebentou e os preços dispararam, que tenho poupado ao máximo nas compras. Tenho me dedicado mais à comida vegetariana que considero mais em conta e melhor para a saúde. A carne e o peixe são vendidos a preço de ouro!

O preço da minha eletricidade não passa os 20 euros mensais, e não, não ando aqui às luz das velas como já me disseram, é uma questão de comprar os eletrodomésticos certos e lâmpadas LED por todo o lado.

Renegoceio o meu contrato de telecomunicações sempre que possível, pouco me importa a fidelização desde que pague o menor preço.

A água é o meu calcanhar de Aquiles. Posso dizer-vos que pago mais na fatura da água que na fatura de eletricidade, e isso não consigo compreender. Tomo duches rápidos, utilizo a água que se perde no duche para o autoclismo (já coloquei uma garrafa com pedras dentro do autoclismo) e mesmo assim a fatura não baixa.

Partilhem comigo também as vossas dicas de poupança porque estas medidas que, supostamente, iriam nos aliviar fazem-me apertar ainda mais o cinto.