Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Milorde

Era o vinho, meu deus, era o vinho!

Milorde, 15.11.21

wine-g2697b75f2_1920.jpg

Lembram-se da excursão que o Paulo das camionetas realizou? Pois eu ontem soube de algo que vou partilhar com vocês. Não é que eu queira saber da vida das outras pessoas, isso não me interessa para nada (que ideia!), mas os habitantes desta vila pacata insistem em vir cá a casa me contar as coisas e eu, mais por boa educação que outra coisa, escuto sempre com atenção!

Bem, voltando ao dia da excursão, chegou-me aos ouvidos que a Sra Almerinda encheu bem a pança de carne de leitão assado ali para os lados de Mealhada juntamente com uma caneca de vinho e que, já que a senhora tinha pago a caneca inteira, não iria deixar o resto para o restaurante. Que não me faça mal - dizia ela enquanto sorveu o vinho até à última gota.

Já na camioneta a senhora começou a sentir-se mal. Dizia que via tudo à roda tal como se ela se tivesse sentado num carrinho da montanha-russa.

- Parai a camioneta, parai! - diziam as pessoas.

- Mas eu não posso parar aqui no meio da auto-estrada - dizia o motorista - só na próxima área de serviço.

Mas já não foi a tempo. A senhora vomitou no chão do autocarro. Até as lembranças de Fátima ficaram manchadas de bordeaux. O motorista abriu as portas de trás em andamento para as pessoas apanharem ar pois o cheiro era nauseabundo. Quem olhasse para o chão do autocarro via todo o vinho desperdiçado de um lado para o outro ao sabor das curvas.

A Sra Almerinda ficou doente durante 3 dias e disse mesmo que nunca mais em toda a sua vida tocaria numa gota de álcool.

 

A excursão

Milorde, 27.10.21

hobi-industri-C-zgN_LEKb8-unsplash.jpg

No próximo domingo haverá uma excursão para os habitantes de Barbalimpa que quiserem participar. O Paulo das camionetas até anunciou na missa da 11h de domingo passado que o custo da excursão são 20€ sem direito a reembolso caso alguém não tenha gostado ou quiser simplesmente desistir.

O itinerário será parar em Fátima (como não podia deixar de ser), depois visitar a Quinta dos Milagres em Coimbra, e no fim passar em Mealhada para comer leitão acompanhado com uma boa garrafa de vinho, branco ou tinto dependendo do gosto de cada um.

A Rosa, que faz rissóis e croquetes para fora, está a trabalhar pela noite dentro para fabricar tanto salgado para tanta gente e o Sr. Eduardo, proprietário do minimercado, esgotou o stock de batatas fritas de pacote.

Anda por cá uma azáfama que vocês nem queiram saber! Até o Sr. Eduardo esqueceu-se de tirar a chave da fechadura e fechou a porta do minimercado com a chave do lado de dentro. O problema é que a porta só abre com a chave e não com a maçaneta. Por acaso, e sorte a dele, deixou uma janela entreaberta e então o senhor veio a correr cá a casa pedir ao Sebastião que entrasse pela janela do minimercado e lhe abrisse a porta. Fomos lá todos para ajudar, o Misha ficou a guardar a mansão qual cão de guarda, e quando chegamos o Sebastião trepou pelo cano de infiltração até à janela e disse ao Sr. Eduardo que a prateleira dos líquidos da loiça estava mesmo abaixo e que ao entrar talvez derrubasse alguns.

- Mete abaixo, mete abaixo! - gritou o Sr. Eduardo.

O Sebastião lá entrou e por fim abriu a porta. Era só líquido da loiça pelo chão! Mais tarde viemos a saber que o Sr. Eduardo disse que por causa do Sebastião teve um grande prejuízo na marca Super Pop limão. Estão a ver como as pessoas são mal agradecidas?