Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Milorde

Vamos falar sobre ansiedade?

Milorde, 03.11.23

sadness-6759823_1280.jpg

A ansiedade é um estado emocional comum que a maioria das pessoas sentem em algum momento nas suas vidas. Pode variar de preocupações ocasionais a sentimentos intensos e persistentes de medo e preocupação. A ansiedade pode ser desencadeada por diferentes situações, como problemas no trabalho, stress financeiro, eventos importantes na vida, preocupações de saúde, entre outros.

Existem vários tipos de transtornos de ansiedade, como transtorno de ansiedade generalizada (TAG), transtorno do pânico, fobias específicas, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e transtorno de stresse pós-traumático (TEPT), entre outros. Cada um tem características específicas e pode afetar as pessoas de maneiras diferentes.

Alguns dos sintomas comuns de ansiedade incluem:

  1. Preocupação excessiva.
  2. Sensação de nervosismo, agitação ou tensão.
  3. Aumento da frequência cardíaca.
  4. Respiração rápida.
  5. Dificuldade em dormir.
  6. Dificuldade de concentração.

Existem muitas estratégias para lidar com a ansiedade, incluindo técnicas de gestão do stresse, como exercícios de respiração, meditação, exercícios físicos regulares, terapia cognitivo-comportamental (TCC), e em alguns casos, a ajuda de medicamentos prescritos por um profissional de saúde.

É importante procurar ajuda de um profissional de saúde mental se a ansiedade estiver a interferir significativamente na qualidade de vida, nas relações ou no desempenho no trabalho ou estudos (sim, as crianças e os jovens também podem sofrer de ansiedade!). A terapia e outras formas de tratamento podem ser muito eficazes no controlo da ansiedade.

 

Além da caridade

Milorde, 02.11.23

Sempre que vou ao supermercado há uma senhora que vem ter comigo a pedir-me uma moedinha para comer uma sopa. Na primeira vez que ela me abordou desculpei-me dizendo que não tinha dinheiro comigo, a senhora ficou muito chateada e mandou-me à merda, diretamente com todas as palavras.

Fiquei surpreso com tamanha reação e durante dias ignorei-a sempre que ela me abordava porque, meus amigos, a educação cabe em todo o lugar, sejamos ricos ou pobres.

Um dia da semana passada, quando fui ao tal supermercado, ela lá estava e mal me viu a sair da porta do estabelecimento dirigiu-se a mim mais uma vez. Pediu-me dinheiro para comer uma sopa. Disse-lhe que não tinha dinheiro comigo mas que se ela quisesse dava-lhe pão e uma peça de fruta para ela comer. Acham que ela aceitou? Não, não quis. Queria dinheiro.

A vida está difícil para muita gente. Até para mim, acreditem! Não dou dinheiro às pessoas que me abordam, dou comida. Algumas aceitam e agradecem, o que me enche o coração de orgulho pela pessoa generosa que posso ser. Outras não querem e viram as costas. Aí, deixo de ter pena.